Elon Musk: Humanos devem fundir-se com a Inteligência Artificial para não se extinguirem

O fundador da Tesla diz que tudo pode começar com a colocação de um chip no cérebro das pessoas, uma forma de democratizar a inteligência e evitar o colapso da humanidade

Os humanos devem fundir-se com a inteligência artificial criando uma simbiose que conduzirá a uma "democratização da inteligência." A ideia pertence a Elon Musk, o famoso dono da Tesla que sempre se mostrou crítico dos efeitos da inteligência artificial (IA) na humanidade. O milionário de 47 anos parece ter novas ideias e defende o aproveitamento da tecnologia para que a humanidade possa subsistir.

"Essencialmente, como podemos garantir que o futuro constitua a soma da vontade da humanidade?", questionou Musk numa entrevista ao Axios, site noticioso norte-americano . "E assim, se tivermos milhares de milhões de pessoas com a ligação de banda larga para a extensão da IA de si mesmas, isso torna todos superinteligentes."

Como seria um ser humano com infusão de IA? O otimista Musk aponta que a atualização da inteligência humana começaria através da colocação de um chip na cabeça, com "um monte de minúsculos fios", com o objetivo de criar um disco rígido para o cérebro das pessoas.

Ao dar às massas o acesso à superinteligência, a informação não seria monopolizada por corporações e governos, acrescentou Musk. A fusão de pessoas com superinteligência, explicou, poderia ser usada para tratar lesões na medula espinal e melhorar a memória humana, ou ajudar pessoas a evitar a demência.

À medida que os algoritmos e o hardware são cada vez melhores, prevê: "A inteligência digital excederá a inteligência biológica por uma margem substancial. É obvio."

Armas de terror

Com o exemplo dos macacos e que a humanidade pode ficar confinada a um zoo se não acompanhar a evolução, o criador da Tesla diz que a humanidade comporta-se como "como crianças no recreio", sem prestar atenção às ameaças iminentes. "Preocupamo-nos mais com o nome alguém chamou a outra pessoa do que se a IA destruirá a humanidade. Isso é insano."

Para o empreendedor, as máquinas autónomas são mais perigosas para o mundo do que a Coreia do Norte e podem lançar "armas de terror". Comparou a adoção da inteligência artificial à "convocação do diabo". O fundador da SpaceX também acredita que a IA poderá desencadear a próxima guerra mundial e argumentou que máquinas superinteligentes podem dominar o mundo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG