Descoberta nova célula capaz de ajudar a combater todos os cancros

Cientistas da Universidade de Cardiff fizeram uma descoberta sobre o sistema imunológico que pode salvar vidas. Identificaram uma célula que é capaz de destruir vários tipos de cancro, preservando as células saudáveis.

Investigadores da Universidade de Cardiff descobriram um novo tipo de célula T que oferece uma nova esperança para uma terapia eficaz contra os cancros. A descoberta ainda não foi testada em humanos, mas os cientistas asseguram que tem um "enorme potencial". As células T integram o sistema imunológico e são responsáveis pela defesa do organismo contra agentes desconhecidos, criando a imunidade. Os resultados deste trabalho científico foram divulgados na publicação científica Nature Immunology.

As terapias com células T para o cancro - onde as células do sistema imunológico são removidas, modificadas e devolvidas ao sangue do doente para destruir as células cancerígenas - são o mais recente paradigma nos tratamentos contra o cancro. A terapia mais usada, conhecida como CAR-T, é personalizada para cada doente, mas tem como alvo apenas alguns tipos de cancro e não tem sido bem sucedida em tumores sólidos, que compõem a grande maioria dos cancros.

Agora tudo pode mudar. Os cientistas de Cardiff descobriram agora uma célula T equipada com um novo tipo de recetor de células T (TCR), que reconhece e mata a maioria dos tipos de cancro humano, enquanto ignora as células saudáveis.

Este TCR reconhece uma molécula presente na superfície de uma ampla gama de células cancerígenas, bem como em muitas das células normais do corpo, mas, notavelmente, é capaz de distinguir entre células saudáveis ​​e células cancerígenas, matando apenas as últimas.

Os investigadores dizem que isto oferece "oportunidades empolgantes para imunoterapias" que até aqui não eram consideradas possíveis.

Para testar o potencial terapêutico, estas células foram injetadas em ratos alterados geneticamente para terem um sistema imunológico igual ao humano e também tumores cancerígenos humanos.

As células T revelaram ter capacidade para destruir cancros do pulmão, pele, sangue, mama, osso, próstata, entre outros, e, ao mesmo tempo, poupar as células saudáveis.

O principal autor do estudo e especialista em células T, Andrew Sewell, disse que é "altamente invulgar" encontrar uma célula de defesa capaz de destruir tantos tipos de cancro ao mesmo tempo. A comprovar-se, abre o caminho para um tratamento universal.

"Esperamos que esta nova célula ofereça um caminho diferente para detetar e destruir um amplo grupo de cancros em todos os indivíduos", afirmou Sewell. "As atuais terapias com células de defesa disponíveis só podem ser usadas numa minoria de doentes, e para um número reduzido de casos de cancros."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG