Cientistas estimam que 1,4 milhões de pessoas da UE vão morrer de cancro em 2019

Números representam uma subida de 4,8% nas mortes por cancro face a 2014. Cancro do pulmão é o mais mortífero.

Cientistas estimam que 1,4 milhões de pessoas da União Europeia vão morrer de cancro em 2019, o que representa um aumento de 4,8% face a 2014.

O cancro do pulmão será o mais mortífero este ano, segundo um estudo publicado esta terça-feira na revista académica Annals of Oncology, prevendo os investigadores que cause a morte de 280 mil pessoas (183.200 homens e 96 800 mulheres).

Nas mulheres, o cancro da mama, o segundo mais mortífero depois do pulmão, irá provocar mais 800 mortes comparativamente a 2014 (92 800 no total), anteveem os autores do estudo, apontando este aumento como consequência do envelhecimento da população.

A equipa liderada por Carlo La Vecchia, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Milão, em Itália, estima também que 360 mil mortes por cancro serão evitadas em 2019.

Para fazer estas estimativas, o grupo baseou-se nas taxas de mortalidade por cancro registadas na União Europeia, como um todo, e nos seis maiores países (França, Alemanha, Itália, Polónia, Espanha e Reino Unido). Neste grupo, os investigadores verificaram a taxa de mortalidade para todos os cancros e para dez cancros específicos (estômago, intestino, pâncreas, pulmão, mama, útero, ovário, próstata, bexiga e leucemias).

Foram igualmente recolhidos dados da Organização Mundial de Saúde de 1970 a 2014. O ano de 2019 é o nono ano consecutivo para o qual a equipa científica estabeleceu estimativas sobre a morte por cancro na União Europeia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG