Se aceitasse concessão "não estava a cumprir plano"

O ex-presidente da RTP Guilherme Costa defendeu hoje que se aceitasse continuar na administração com o cenário da concessão não estaria a cumprir o plano acordado com a empresa.

"Se aceitasse este cenário não estava a cumprir os compromissos da empresa", disse, apontando que a concessão implica uma "gestão de risco", além de discussões políticas e jurídicas.

"Provavelmente nem cumpriríamos a reestruturação, nem coisa nenhuma", acrescentou.

Na opinião de Guilherme Costa, o cenário da concessão pode levar o plano de reestruturação da empresa a ficar "em águas de bacalhau".

Guilherme Costa falava na Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, num requerimento do PS na sequência da sua demissão do conselho de administração, no final de agosto.

"Encaro a concessão como uma parceria pública privada" e nesse sentido "não me considero disponível para assinar com um privado, seja ele qual for", sublinhou.

O ex-presidente da RTP salientou que "quem assina a concessão é o conselho de administração".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG