Rodrigues dos Santos reage a crítica sobre reportagens: "Azar, eu falo"

O acompanhamento das eleições feito pelo enviado especial da RTP fez estalar a polémica entre críticos e redes sociais e já motivou queixas. "Infelicidade", dizem uns, "bom trabalho", defende o diretor.

José Rodrigues dos Santos volta a estar sob fogo cruzado. A questão prende-se com a cobertura das eleições gregas, vencidas pelo Syriza e por Alexis Tsipras, e em particular por reportagens em que o jornalista, pivô da RTP1 e enviado especial àquele país falava da pequena e grande corrupção, fuga aos impostos e os subsídios fraudulentos. "Os gregos inventam mil estratagemas para não pagar impostos", afirmou.

Num outro momento, relatou "a pequena corrupção generalizada na Grécia": "Por exemplo, muitos dos gregos que passam a pé diante da casa do antigo ministro da Defesa - comprada com o dinheiro dos subornos do negócio dos submarinos - são paralíticos, ou melhor, subornaram um médico para obter uma certidão fraudulenta de deficiência que lhes permite receber mais um subsidiozinho."

Esta cobertura noticiosa acabou por valer a dura crítica do professor de Política Internacional, na Universidade de Coimbra, José Manuel Pureza, em direto na noite de domingo, na RTP Informação, e gerar contestação nas redes sociais.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG