Produtora de novelas da TVI acusada de exploração

A estrada de acesso aos novos estúdios da produtora de ficção nacional da TVI foram vandalizados com frases acusatórias. Técnicos e actores apontam o dedo à Plural e às 12 horas de trabalho diário

Actores e técnicos da Plural Entertainment, a produtora de toda a ficção nacional da TVI, estão descontentes com a forma de trabalho da empresa.

Mais de 12 horas de trabalho, exploração e fascismo são algumas das queixas que uma fonte ligada à produtora relata ao DN.pt. E que estão na base das acusações que um grupo de pessoas que não deu a cara, mas que fez grafitti deixados na estrada que conduz à Quinta dos Melos, onde estão situados os novos estúdios da produtora, em Loures.

Até placas de sinais de trânsito serviram para mostrar o descontentamento, ainda que algumas já tenham sido apagadas e outras tapadas com o logótipo da Plural.

Confrontado pelo DN.pt com estas acusações, André Cerqueira director-geral da Plural, não acredita na insatisfação dos profissionais e afirma que já tinha visto o que escreveram sobre ele. E até se riu quando leu "Plural = Fascismo Ibérico". "Acho que os trabalhadores estão satisfeitos com os estúdios. Vejo isso como uma coisa externa. A minha preocupação é manter os postos de trabalho", revelou.

O responsável explica ainda o porquê de algumas frases terem sido apagadas. "A Plural trabalha como todas as outras produtoras. Quando uma pessoa pinta por cima do que os vândalos grafitam com aquela maldade é para proteger os trabalhadores."

Leia a versão completa no E-paper ou na versão em papel de hoje.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG