"O jornalismo tem de ser mais pausado e mais pensado"

O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional afirma ser "muito importante para a democracia que o tratamento mediático dos temas tenha profundidade e não apenas superficialidade"

Miguel Poiares Maduro disse ontem, na festa do 5.º aniversário da TVI 24, que o jornalismo que se pratica em Portugal "tem de ser mais pausado e mais pensado". O ministro crê que o facto de o nosso país ser, em comparação com os restantes da Europa, um caso único de sucesso em termos de canais de informação cria, "por vezes, um ritmo demasiado acelerado em termos de notícias" e que "é uma função do ministro da tutela alertar para a importância de o jornalismo precisar" de abrandar.

"Agimos todos demasiado depressa, a um ritmo demasiado veloz, muito numa lógica de curto prazo, e é importante se consigamos voltar a ter um pouco mais de profundidade no tratamento noticioso", referiu Poiares Maduro. "É preciso pensar mais, refletir mais, tratar as coisas com mais profundidade. Falo de jornalistas, de políticos, de todos os portugueses", frisou.

O ministro reconheceu ainda que "é necessário apoiar o audiovisual português, em particular a área da comunicação social, que está numa fase de transição, que apresenta desafios importantes em matéria de mudança na forma como os leitores e os espectadores se relacionam com ela e também em termos de modelo de negócio". "Nesta fase de transição é importante manifestar o apoio devido à importância que a comunicação social tem em qualquer democracia", concluiu Poiares Maduro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG