Trabalhadores externalizados podem montar empresa

Alberto da Ponte, o presidente da RTP, confirmou que a externalização da produção e manutenção da empresa pública está em marcha e diz que "isso está a ser feita de forma transversal com os próprios trabalhadores da RTP

"A externalização dos meios da RTP e da manutenção estão na Plano de Desenvolvimento e Redimensionamento (PDR) e isso está a ser feita de forma transversal com os próprios trabalhadores da RTP a coloborar", afirmou o presidente da Administração da empresa pública, Alberto da Ponte aos deputados da comissão de Ética, onde está a ser ouvido esta quarta-feira no âmbito das alterações à lei da Radio e da Televisão e aos Estatutos da estação pública.

Quanto ao novo plano de saídas lançado na tarde de segunda-feira e noticiado esta manhã pelo DN, o presidente justifica "a oportunidade de o fazer com o menor custo social possível. À medida que o financiamento vai faltando e o tempo vai correndo para cumprir o orçamento, temos de encarar soluções que possam vir a ser mais dolorosas, incluindo o despedimento coletivo".

Penso, no entanto, que isso poderá ser evitado com financimento e diáogo." Recorde-se que, desde março do ano passado, ao abrigo do plano de saídas voluntárias que estava em vigor, saíram da estação pública "220 pessoas", número adiantado por Alberto da Ponte.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.