RTP troca correspondentes e quer mais rotatividade

Rosa Veloso saiu de Madrid e João Pacheco de Miranda deverá abandonar o Brasil em 2016. Direção de informação quer limitar a quatro anos o tempo de permanência uma cidade ou país.

A dança das cadeiras na informação da RTP chegou também aos correspondentes. A jornalista Rosa Veloso, que esteve ao serviço da estação pública em Madrid há dez anos, já se encontra em Portugal e João Pacheco de Miranda, correspondente no Brasil há nove anos, termina o seu contrato no final deste ano.

O DN sabe que um dos objetivos da direção de informação, liderada por Paulo Dentinho, passa por limitar o período de permanência de um correspondente numa cidade ou país por um tempo máximo de quatro anos, para que haja, desta forma, uma maior rotatividade dos profissionais.

A jornalista Rosa Veloso inicia já esta segunda-feira um novo desafio profissional como coordenadora da delegação da RTP no Algarve. Em declarações ao DN, a ex-correspondente de Madrid não lamenta a sua saída da capital espanhola e justifica: "Nada é eterno. Acho bem esta mudança. É sempre bom renovar. Dez anos foi muito tempo. Senti que me começava a tornar uma cidadã [espanhola]".

O prazo de candidatura para a vaga de correspondente da RTP em Madrid já terminou. Nas próximas semanas deverá ser anunciado quem será o substituto de Rosa Veloso no país vizinho.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos