RTP faz emissão especial nos 40 anos do 25 de abril

Documentários, uma série de ficção, especiais de informação e um concerto são as apostas do canal do estado para celebrar a efeméride. Emissão vai ainda contar com blocos informativos fora de estúdio.

"A nossa ideia quando construímos esta programação foi criar uma vaga de fundo para que fosse condigna em relação à comemoração que assinalamos. São 40 anos de democracia", começou por explicar Luís Marinho, diretor-geral da RTP durante a apresentação à imprensa da programação para o 25 de abril, que decorreu esta quinta-feira de manhã nas instalações do canal, em Lisboa.

Dos especiais que o principal canal do estado vai apresentar fazem parte a minissérie Mulheres de Abril, que vai ser exibida em horário nobre entre os dias 21 e 25 de abril, um concerto do maestro Rui Massena, em Grândola, exibido em direto na noite de 24 de abril, para além da continuação dos especiais de reportagem E Depois de Abril, que se mantêm em antena até dia 1 de maio.

De destacar ainda que o Portugal em Directo, apresentado por Dina Aguiar, será exibido a partir de Grândola, na tarde de 24 de abril, bem como o Jornal da Tarde, de dia 25 de abril. Já o Telejornal de dia 25 vai ser transmitido a partir de uma fragata no Rio Tejo.

No que à RTP2 diz respeito, serão exibidos diversos documentários entre dia 22 e 27. Já a RTP Informação terá uma programação especial no dia 25, com reportagens, debates e entrevistas a protagonistas da data.

"Quisemos que toda a programação fosse virada no sentido do reforço da cidadania. Toda ela tem uma componente muito forte de formação e informação e mesmo nos seus aspetos mais leves, mais lúdico", explicou ainda o diretor-geral da RTP.

Leia mais na edição de amanhã do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.