Nuno Artur Silva vai apresentar 'Nas Nuvens'

Um novo 'talk show', que será apresentado pelo diretor-geral das Produções Fictícias, Nuno Artur Silva, estreia-se quinta-feira, 10, às 23.05 no Canal Q.

O argumentista e diretor-geral da produtora Produções Fictícias, Nuno Artur Silva vai apresentar um novo formato na antena do Canal Q: a partir de quinta-feira, dia 10, conduz o talk show semanal Nas Nuvens.

"Segundo o dicionário, estar 'nas nuvens' é estar 'alheio ou distraído em relação à realidade ou ao que está à volta. Ironicamente, hoje em dia, The Cloud [A Nuvem] é a designação para um grande agregador de informação ligada em rede e disponível em tempo real. O Nas Nuvens irá flutuando nessa contradição irónica", lê-se em comunicado.

Na primeira emissão do talk show, Nuno Artur Silva recebe como convidados o escritor José Eduardo Agualusa, o fundador da YDreams António Câmara e a cantora Aline Frazão, que fará uma atuação no final do programa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.