Balsemão quer canal tripartido em alta definição

O presidente da Impresa (grupo que detém a SIC) defendeu, esta quinta-feira, o regresso à solução, "que parecia estar abandonada", de criar um canal tripartido na Televisão Digital Terrestre (TDT).

"Pensamos que na lei vigente há uma saída para uma oferta de mais um canal em TDT, que é o canal tripartido em HD (alta definição)", explicou, à saída de uma reunião na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), Francisco Pinto Balsemão, referindo-se à solução, prevista na lei desde a instalação da TDT em Portugal.

A antiga proposta, contemplada na lei, envolve, entre várias hipóteses, a colaboração dos três canais generalistas num só canal e que poderia ainda ser posta em prática antes do final do ano. "O que está basicamente aqui em causa é aquilo a que em tempos se chamou o canal tripartido ou condomínio", acrescentou o presidente do regulador, Carlos Magno. O responsável pela ERC frisou ainda que, a ser aprovada, a proposta "pode implicar um mês, respeitando aquilo que são as elis em vigor neste momento", e que as reuniões com os RTP, SIC e TVI irão continuar.

Francisco Pinto Balsemão demonstrou ainda a sua "estranheza" relativamente à informação, veinculada pela imprensa, de que a inclusão do canal informativo da RTP em sinal aberto na TDT poderá estar entre as propostas para o modelo da RTP, a ser apresentado pelo ministro Miguel Poiares Maduro, a 9 de outubro na Assembleia da República.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.