Da Vinci regressa com uma temporada mais negra

As novas aventuras de Leonardo Da Vinci chegam à Fox na segunda-feira, pelas 23.00, com a segunda temporada de 'Da Vinci's Demons'. No fim de semana antes da estreia, dias 29 e 30 de março, a partir das 18.00, o canal transmite a primeira temporada completa, com a exibição de quatro episódios seguidos em cada um dos dias.

A Fox estreia a segunda temporada de Da Vinci's Demons. Este drama ficcional e histórico sobre a vida do jovem Leonardo Da Vinci nasce pelas mãos de David S. Goyer, a mente por detrás de produções cinematográficas como a trilogia de O Cavaleiro das Trevas e o recente O Homem de Ferro.

A antecipar a estreia desta segunda temporada, a Fox preparou um especial de programação com duas maratonas da primeira temporada. No fim de semana antes da estreia, dias 29 e 30 de março, a partir das 18.00, o canal transmite a primeira temporada completa de Da Vinci's Demons, com a exibição de quatro episódios seguidos em cada um dos dias.

As novas aventuras de Leonardo Da Vinci chegam na segunda-feira, pelas 23.00, e vão apresentar algumas mudanças em termos visuais e de enredo que a vão tornar numa série mais negra e irreverente. Nesta nova abordagem, os demónios que se escondem no génio de Leonardo Da Vinci são o foco central da temporada.

Assombrado pelo seu rival Riario, Da Vinci embarca numa heroica jornada de vida ou morte, numa procura física e espiritual para encontrar o "Vault of Heaven", pelo qual é capaz de arriscar tudo. Novos mundos, novas personagens e um novo rival vão ser apresentados com muito mais misticismo, em detrimento da história e das invenções criadas pelo verdadeiro Leonardo Da Vinci.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.