"Chateou-me não ter sido ouvido" na escolha de Colbert

Prestes a despedir-se do seu Late Show, Letterman reflete sobre os altos e baixos da sua carreira de 33 anos, e diz que preferia sucessora de raça negra

Em família. É assim que David Letterman quer passar a manhã de 21 de maio, a primeira que se seguirá ao seu último Late Show. "Vou estar completamente entregue nas mãos da minha família. E depois disso, e pela primeira vez desde que o meu filho Harry nasceu [hoje com 12 anos], os nossos planos de verão não vão ser ditados pela minha agenda. Vai ser o meu filho a decidir tudo o que vamos fazer. E adoro isso", explicou o veterano apresentador norte-americano que se despede do late night a 20 de maio na CBS, depois de uma carreira de sucesso de 33 anos em talk shows neste horário - primeiro com o Late Night e, desde 1993, com o formato do qual se prepara para se despedir.

Numa longa entrevista de retrospetiva de carreira ao New York Times, o comunicador de 68 anos diz que sente um sabor agridoce com a despedida - para já, pelo menos - do pequeno ecrã. "Estou imerso em melancolia. No fim-de-semana, estava a falar com o meu filho e disse-lhe: "Harry, fiz mais de seis mil programas". E ele respondeu com aquela voz ainda aguda de jovem: "Isso é assustador". Fiquei a pensar... ele está certo. É certamente assustador. Sei que vou sentir saudades de forma desesperada. Das duas uma: ou vai existir uma aceitação racional e adulta de transição, ou então vou iniciar uma vida criminosa", contou Letterman, vencedor de 12 prémios Emmy, com o seu peculiar sentido de humor.

O homem que há mais tempo consecutivo trabalha no late night norte-americano lançou ainda farpas à CBS por não ter sido ouvido na escolha de Stephen Colbert como seu substituto, cargo que este último assume a partir de setembro. "Não tive qualquer envolvimento nisso. Sempre achei que Jon Stewart tivesse sido uma excelente escolha. E só depois o Stephen. E depois pensei que esta poderia ser uma ótima oportunidade de colocar um apresentador de raça negra no Late Show, e já agora uma boa oportunidade de colocar lá uma mulher. Temos várias mulheres com excelente sentido de humor e que têm os seus programas noutros canais", acrescentou Letterman.

"Na altura chateou-me não ter sido ouvido na escolha. Nem que fosse por cortesia, teria sido bom que me tivessem perguntado a opinião. Agora já não me preocupa. Vai ser interessante ver o que ele vai fazer com o programa", atirou o veterano da televisão norte-americana que se vai despedir com a presença de várias celebridades como Oprah Winfrey, Jerry Seinfeld, Howard Stern, George Clooney, Julia Roberts, Tina Fey, Bill Murray, Tom Hanks, Scarlett Johansson, Robert Downey Jr. e Will Ferrell, entre outros. "Já decidi o que vou fazer no último episódio e sei de outras coisas que estão já a ser preparadas", adiantou.

Leia mais na edição impressa ou epaper do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG