Beijo 'gay': o público quer ou não vê-lo nas novelas?

Autor brasileiro Sílvio de Abreu é claro: "O público não quer ver". Por cá, autores dividem-se e dizem o que pode estar a faltar

"Não tenho o menor interesse em ver um beijo gay. A Globo quer agradar o seu público, e já mandou fazer pesquisas. A maioria das pessoas não quer ver". As palavras são do autor brasileiro Sílvio de Abreu, responsável por sucessos como Rainha da Sucata ou Torre de Babel, numa altura em que a TV Globo tem apostado cada vez mais na inclusão de personagens gay nas suas novelas, embora continue a evitar os beijos.

Em Portugal, já foram emitidas algumas cenas deste género em Dancin" Days, Rosa Fogo, Podia Acabar o Mundo, Aqui Não Há Quem Viva! ou Lua Vermelha. Ao DN, o autor Pedro Lopes, que escreveu a cena do beijo entre as personagens de Vítor Norte e Paulo Pinto para Dancin' Days, diz: "Cada país é diferente. Em Portugal a reação ao beijo gay na novela não foi polémica, tudo depende de como é feito e da naturalidade das situações".

Patrícia Müller, autora de Rosa Fogo, na qual Cláudia Vieira e Sandra Barata Belo protagonizaram um beijo, é mais direta: "Concordo com Sílvio de Abreu. Apesar de os portugueses já estarem mais à vontade, acho que continuam a não querer ver. E mais. Para o público é pior ver dois homens do que duas mulheres", diz. Tozé Martinho acrescenta: "Estas personagens devem existir com a normalidade com que existem na realidade. Os homossexuais não devem ser pintados como bichas loucas, como acontece por vezes".

Exclusivos