Alberto da Ponte espera que Governo "pondere" pronúncia

O presidente do Conselho de Administração da RTP já entregou a pronúncia em resposta ao pedido de destituição ao pedido pelo supervisor da estação pública e pede ao governo que "análise e pondere todos os factos e argumentos apresentados" e agende reunião

Alberto da Ponte entregou esta tarde, em sede de audiência prévia, e na data limite, a sua pronúncia à tutela e em resposta ao pedido de destituição feito a 3 de dezembro pelo Conselho geral Independente. Em comunicado, o presidente da RTP pede ao governo que "analise e pondere todos os factos e argumentos apresentados, bem como o agendamento de uma reunião, na sequência da disponibilidade manifestada para o efeito pelo próprio Governo".

A resposta de Alberto da Ponte surge no seguimento da proposta de destituição da administração pedida pelo órgão supervisor da estação pública devido ao chumbo à segunda versão do Projeto estratégico para a empresa para 2015.

Alberto da Ponte, em audição na comissão parlamentar de Ética, afirmou, na terça-feira, que não se demitiria, que iria reagir ao pedido de destituição "inédito e injusto" por "não estar fundamentado" e reagiria com "todos os meios legais ao alcance em defesa da honra e reputação profissional". O presidente da RTP argumentou, aos deputados, que "o projeto estratégico foi elaborado no enquadramento do Plano de Desenvolvimento e Redimensionamento (PDR)". Pedia ainda à tutela "bom senso" para analisar a resposta, que foi enviada hoje.

Num segundo ponto, Alberto da Ponte reagiu à acusação da falta de "lealdade institucional" ao não ter comunicado a intenção de adquirir os direitos de transmissão da Liga dos Campeões. "O CGI critica a opção que resulta do escrupuloso cumprimento da lei", evocando a lista de eventos de interesse do público, divulgada em outubro pelo governo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG