Alberto da Ponte espera parecer de advogado para decidir

O presidente da RTP diz que pareceres que defendem Nuno Santos no caso das imagens "devem ser respeitados", mas recorda deontologia nas relações de trabalho.

Alberto da Ponte reagiu hoje, a partir de Moçambique, aos pareceres do Conselho de Redação e da Comissão de Trabalhadores, que sustentam que o ex-diretor de Informação da RTP, Nuno Santos, não pode ser considerado culpado no processo disciplinar que lhe foi instaurado, na sequência do visionamento das imagens da manifestação de 14 de novembro, por parte da PSP, nas instalações da RTP.

Para o presidente, estes "pareceres são coisas normais", um ato "deliberado" que "deve ser respeitado" e em que todos "estão de acordo que aconteceram coisas que não deviam ter acontecido". E prossegue: "Vamos ver o que diz o parecer do advogado instrutor e depois tomaremos a decisão", que deve ser tomada no prazo de 30 dias.

Porém, nas mesmas declarações que deu à RTP, Alberto da Ponte recordou que "as relações de trabalho têm a sua deontologia e deve ser respeitada".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG