Luís Castro será ouvido pela ERC na terça-feira

O ex-subdiretor de Informação da RTP Luís Castro vai ser ouvido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) na terça-feira, ao final do dia, disse hoje aos jornalistas o presidente da entidade, Carlos Magno.

Inicialmente, estava previsto que Luís Castro fosse ouvido hoje, mas segundo o presidente da ERC ficou decidido que a audição teria lugar na terça-feira, após a abertura do inquérito ao caso do visionamento das imagens dos incidentes da manifestação de 14 de novembro pela PSP na sede da RTP.

"Vamos ouvi-lo após a abertura do inquérito", disse Carlos Magno, justificando este adiamento com a necessidade de cumprir todas as formalidades.

Luís Castro tinha pedido para ser ouvido pela ERC, no caso que levou o antigo diretor de Informação Nuno Santos a apresentar a demissão do cargo e à exoneração dos restantes membros da equipa.

O presidente da ERC adiantou que o calendário das audições sobre o caso das imagens da RTP já está decidido, mas escusou-se a avançar mais detalhes.

Carlos Magno acrescentou que a Comissão de Trabalhadores da RTP "deve ser uma das primeiras a ser ouvida".

Durante a manhã de terça-feira, a ERC irá ouvir Paulo Ferreira, indicado pela administração da RTP para o cargo de Diretor de Informação e Miguel Barroso, que será adjunto.

Além disso, também será ouvido o ex-diretor adjunto de Informação Vítor Gonçalves.

As audições da manhã dizem respeito à nomeação da nova direção de Informação da RTP, já que dentro das competências da ERC está a audição dos nomeados e exonerados.

Carlos Magno adiantou ainda que pediu ao presidente da RTP, Alberto da Ponte, que enviasse à ERC a carta de demissão de Nuno Santos.

Também na terça-feira, o presidente da RTP será ouvido na Comissão para a Ética, a Cidadania e Comunicação, no âmbito do caso das imagens, designado pela Comissão de Trabalhadores da estação pública como "Brutosgate".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG