Óscares com pior audiência dos últimos dez anos

A audiência da cerimónia, transmitida nos EUA pelo canal ABC, foi 10 por cento inferior à do ano passado e a mais baixa da última década. Já em Portugal, esta edição foi a mais vista dos últimos cinco anos.

A cerimónia da Academia de Hollywood que no domingo passado deu a O Discurso do Rei a estatueta dourada para Melhor Filme foi vista, em directo, por 37,6 milhões de norte-americanos. Uma transmissão que teve menos 10 por cento de audiência do que a de 2010, com 41,7 milhões de telespectadores.

A gala da 83.ª edição dos prémios do cinema mais famosos do mundo, emitida em directo de Los Angeles, empatou ainda com a quarta pior audiência desde 2002, apesar de ter sido maior que as conseguidas em 2009 (com 36,3 milhões de telespectadores) e 2008 (32 milhões).

Ainda assim, os Óscares 2001, apresentados pela jovem dupla Anne Hathaway e James Franco, foi o programa de maior audiência de TV nos EUA na noite de domingo, atraindo mais do que o dobro da audiência de todos os outros canais juntos.

Já em Portugal, esta edição foi a mais vista dos últimos cinco anos. Segundo a análise da Initiative, perto de meio milhão de portugueses seguiu, em directo na TVI, a transmissão dos Óscares de 2011 num acréscimo de 36% face à audiência total do ano transacto.

A primeira parte da cerimónia dos prémios da Academia foi o período que registou mais telespectadores tendo sido seguida, em média, por 301.400 portugueses (24.9% dos indivíduos que viam televisão aquela hora).

Embora tenha sido registado um acompanhamento significativo dos telespectadores na entrega dos Óscares para as categorias mais relevantes, o horário tardio da transmissão explica uma tendência decrescente na audiência ao longo da exibição. Apesar da boa performance do programa, o impacto das audiências no total do dia foi diminuto.

Exclusivos