Funeral de José Hermano Saraiva realizou-se hoje

O historiador José Hermano Saraiva, falecido ontem aos 92 anos, foi hoje a sepultar no cemitério de Palmela depois de uma missa de corpo presente, às 14.00, na Igreja do Convento de Jesus em Setúbal, noticiou a agência Lusa, citando fonte eclesiástica.

No funeral do antigo ministro da Educação do Estado Novo, além da mulher, filhos e restantes familiares, compareceram figuras públicas como o antigo chefe de Estado, Ramalho Eanes, acompanhado da mulher, Manuela; Marcelo Rebelo de Sousa, bem como a jornalista Fátima Campos Ferreira, que conduziu a última entrevista televisiva feita ao historiador; e o seu marido, Manuel Rocha, ligado à RTP.

José Hermano Saraiva, referido pelo secretário de Estado da Cultura como "um grande comunicador e divulgador da História e da cultura de Portugal", faleceu ontem na sua residência em Palmela. Tinha 92 anos.

José Hermano Saraiva nasceu em Leiria a 3 de outubro de 1919. Licenciou-se em Histórico-Filosóficas (1941) e em Ciências Jurídicas (1942). Exerceu outros cargos públicos, foi ministro da Educação entre 1968 e 1970 e nessa qualidade inaugurou a Biblioteca Nacional. Foi também embaixador de Portugal no Brasil.

Iniciou o trabalho na RTP na década de 1970 com 'O Tempo e a Alma'. Foi autor e apresentador de 'Histórias que o Tempo Apagou', 'Horizontes da Memória' e 'A Alma e a Gente'. É casado com Maria de Lurdes Saraiva, pai de cinco filhos e tem quatro netos.

A 10 de junho deste ano, foi um dos seus filhos que recebeu em seu nome a condecoração que lhe foi atribuída pelo Presidente da República, Cavaco Silva.

A sua última entrevista a meios de comunicação impressos foi dada à revista 'Notícias TV' da Global Notícias.

Exclusivos