Decote de Rita Pereira dá que falar

A actriz portuguesa deu nas vistas na passadeira vermelha da cerimónia de entrega dos Emmy Internacionais por causa do bronzeado e do decote... Acabou por ser entrevistada.

Jeannine Morris, especialista de assuntos de beleza e fundadora do site BeautySweetSpot.com, não resistiu a ir conversar com a actriz portuguesa e fezer-lhe uma entrevista centrada no bronzeado e no decote.

No vídeo, vê-se Alexandra Lencastre aos pulos, a comemorar o troféu de melhor telenovela para "Meu Amor", e Bernardo Bairrão, administrador da TVI, que, talvez levado pela entrevista de Jeannine a Rita, olha exactamente para aquele que era o principal assunto da conversa...

Em beautysweetspot.com/ Jeannine escreve que falou com grandes estrelas norte-americanas, como Jimmy Fallon, mas que o momento alto da noite foi outro, para ela e para os homens presentes no evento: Rita Pereira. "Os seus seios 'roubaram' a cena", diz. 

Veja o vídeo:


Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.