"Glee" reúne de urgência após morte de Cory Monteith

Os autores da série norte-americana reuniram de emergência para decidir o futuro de "Glee" sem Cory Monteith, encontrado morto no sábado num hotel de Vancouver, vítima de uma overdose de heroína e álcool.

A série vai continuar, isso para já é certo, afirma o TMZ, resta saber como sairá da história. "A série não foi, definitivamente, cancelada", afirma uma fonte, citada pelo site de notícias, frisando que "Glee" nunca foi uma série centrada num só protagonista.

Não é a primeira vez que séries passam por estes reveses e a mesma fonte garante ao TMZ que os produtores estão a inspirar-se em programas como "Os Homens do Presidente" ("The West Wing") ou "8 Simples Rules", que também perderam membros do elenco, para resolver a situação. Para já ainda nenhuma decisão foi tomada.

Corey Monteith foi encontrado morto no sábado num hotel de Vancouver, a sua cidade natal, e segundo os resultados da autópsia, conhecidos anteontem, a causa a morte foi uma overdose de heroína e álcool.

O corpo do ator, de 31 anos, foi cremado na terça-feira por decisão da mãe, Ann, numa cerimónia em que estiveram presentes apenas a família mais próxima, incluindo o irmão Shaun, e a namorada, Lea Michele, com quem contracenava na série de televisão.

De acordo com o TMZ, o pai do ator não teve oportunidade de se despedir do filho. "Totalmente devastado", de acordo com o site de notícias, por não ter podido ver o corpo do filho.

"Sempre adorei os meus filhos e vou sentir muita muita falta do Cory. Entristece-me não ter podido estar lá para ver o meu filho antes de ser cremado", disse.

O pai do ator disse ainda estar "chocado" com o uso de heroína que esteve na origem da morte de Cory Monteith.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG