ERC responsabiliza direção de Informação no caso Brutosgate

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) responsabiliza toda a "direção de Informação da RTP, que não conseguiu evitar que agentes da PSP visionassem imagens captadas" pelas equipas da RTP na manifestação do dia 14 de novembro de 2012.

Sublinhando que não tem jurisdição sobre jornalistas em particular, a ERC deliberou, esta quinta-feira ao final da tarde, que toda a direção de Informação da estação pública, e não apenas o antigo responsável pela pasta, Nuno Santos, não evitaram a entrada de elementos da PSP nas instalações da RTP para visionar imagens da manifestação de 14 de novembro, caso que ficou conhecido como 'Brutosgate'.

No documento, o regulador "considera que a Direção de Informação da RTP, enquanto estrutura coletiva, não conseguiu evitar que agentes da PSP visionassem imagens captadas pelas equipas jornalísticas" da estação pública.

A ERC recomenda ainda, na mesma deliberação, que "proceda à materialização das normas que norteiam o acesso de entidades externas a imagens ou sons captados por jornalistas e outros profissionais ligados à Informação".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG