Sol reduz salários entre 7,5 e 25% a todos os trabalhadores

O jornal Sol vai reduzir os salários dos trabalhadores em valores entre 7,5 e 25 por cento, medida que se deverá sentir já em outubro, segundo ata do Conselho de Redação (CR) a que a agência Lusa teve acesso.

No documento que resulta da reunião daquele órgão, realizada a 24 de setembro, é também referido que "haverá um esforço para que os cortes salariais não venham a ser agravados pelas medidas de austeridade que o Governo está a preparar" no âmbito do Orçamento do Estado para 2013.

A redução salarial irá consistir num aditamento ao contrato de trabalho em que, mediante uma redução do horário diário estipulado, o trabalhador aceita a redução salarial a apresentar pela empresa, num "compromisso temporário de dois anos", de acordo com o administrador Mário Ramires.

O CR diz também que "sugeriu a hipótese de os salários mais baixos ficarem fora desta medida", cenário recusado pela administração, que sublinhou "que não pode haver exceções ou negociações nesta matéria".

O texto diz contudo que a administração "aceitou estudar uma tabela de cortes mais progressiva" a apresentar pelo CR e "inspirada no corte salarial da Função Pública em 2011".

No começo deste mês, o Sol havia dispensado 12 profissionais, cinco dos quais pertencentes aos quadros da empresa e sete outros contratados a prazo que não veriam o seu vínculo renovado.

Em janeiro, o título havia já rescindido com 20 trabalhadores, embora o diretor do título, José António Saraiva, tivesse na ocasião, em 'email' enviado aos trabalhadores, afastado o cenário de mais despedimentos em 2012.

O semanário Sol, lançado em 2006, é atualmente detido pelo grupo de capitais angolano Newshold, tendo-se assumido como jornal da lusofonia, com edições para Angola, Moçambique e Cabo Verde.

Exclusivos