Presidentes da Ongoing renunciam a cargos na Impresa

O presidente e o vice-presidente da Ongoing renunciaram hoje aos cargos que exerciam na administração da Impresa, de acordo com um comunicado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em comunicado enviado à CMVM, a Impresa informa que "o Vogal do Conselho de Administração, Dr Nuno Rocha dos Santos de Almeida e Vasconcellos, apresentou a renúncia ao exercício das suas funções, por carta de 28 de Setembro de 2009; o Vogal da Comissão de Vencimentos, Dr Rafael Luís Mora Funes, apresentou a renúncia ao exercício das suas funções, por carta de 28 de Setembro de 2009".

A Prisa anunciou segunda-feira a venda de até 35 por cento da Media Capital à Ongoing.

No final de Junho, os principais responsáveis da Ongoing entregaram ao presidente da Impresa cartas de demissão da administração daquele grupo para serem utilizadas quando Francisco Pinto Balsemão considerasse necessário.

Em causa estava o facto de a Ongoing Investments, dona do Semanário e Diário Económico, deter 20 por cento da Impresa, mas estar interessada também na compra da Media Capital, por querer ter controlo sobre uma televisão.

As cartas, assinadas pelo presidente Nuno Vasconcellos e pelo vice-presidente Rafael Mora, foram entregues quando a compra de 30 por cento da Media Capital (proprietária da TVI) pela Portugal Telecom foi inviabilizada, abrindo caminho para outros grupos de media analisarem o negócio.

Apesar de na altura ainda estar a ser estudada a eventual compra de parte do grupo da TVI aos espanhóis da Prisa, os dois responsáveis da Ongoing quiseram deixar o presidente da Impresa à vontade para tomar uma decisão se se sentisse desconfortável na situação.

Esta possibilidade, que poderia concretizar-se na TVI ou na SIC, foi tornada realidade na segunda-feira com o anúncio da compra de 35 por cento da Media Capital pela Ongoing.

A Ongoing sempre manteve em aberto a hipótese de comprar mais acções na Impresa ou negociar um acordo de gestão para obter uma posição de controlo no grupo, o que foi desde o início rejeitado por Francisco Pinto Balsemão.

O presidente da Impresa tem vindo entretanto a alertar para a possível incompatibilidade do grupo deter participação em dois grupos de media, uma situação que a Autoridade da Concorrência teria que avaliar.

"Se a Ongoing avançar para este negócio [compra de parte da Media Capital], teremos de ver se há conflito de interesses. Julgo que há", disse Balsemão em entrevista ao jornal Público, publicada a 21 de Setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG