Polémica sobre negócio da PT é "tempestade de Verão"

O presidente do conselho de administração da Portugal Telecom (PT), Henrique Granadeiro, considerou hoje uma "tempestade de Verão" a polémica em torno da possível compra pela PT de 30 por cento do capital da Media Capital, que controla a TVI.

"Na sexta-feira [a PT] fez uma reacção para o mercado e a posição é a que consta do comunicado do dia 23, em que diz que houve conversações [com o grupo espanhol Prisa que controla a Media Capital], mas não houve acordo", afirmou Granadeiro.

O presidente não executivo da PT falava aos jornalistas em Reguengos de Monsaraz, na sua herdade, o Monte dos Perdigões, onde apresentou hoje a nova marca dos seus vinhos e um novo rótulo.

" margem desta cerimónia, Henrique Granadeiro foi questionado sobre a polémica em torno do alegado interesse da PT na Media Capital e sobre a notícia publicada hoje no semanário Expresso, que diz que o Governo conhecia, desde o início do ano, esse processo de venda.

Henrique Granadeiro escusou-se a comentar a notícia - "a PT já comentou o que há a comentar", disse -, mas qualificou toda a polémica como "uma tempestade de Verão".

A inexistência de acordo para a aquisição do capital da Media Capital, apesar das conversações, afiançou, foi revelado "de forma taxativa" pela PT "antes desta tempestade toda que se gerou como uma tempestade de Verão, sem se saber como foi originada".

"Mas, infelizmente, a PT foi envolvida nela", lamentou, convicto de que toda a polémica "vai acabar como acabam as tempestades de Verão", ou seja, "vêm depressa e abalam depressa porque não têm vento que chegue para tanta conversa".

Desde que a PT negou existir algum acordo, este é um "assunto arrumado" para Henrique Granadeiro pelo que considera que "tudo o que foi dito" desde então, "quer pelo Presidente da República, quer pela presidente do PSD, quer pelo primeiro-ministro e pelo Governo, são pronunciamentos fora do contexto ou fora da realidade".

O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou sexta-feira, na Assembleia da República, que se oporá à compra pela PT de parte da Media Capital para que não haja a mínima suspeita de que esse negócio se destina a alterar a linha editorial da TVI.

Na quinta-feira, o Presidente da República tinha afirmado que os responsáveis da Portugal Telecom (PT) deveriam explicar aos portugueses que motivos levam esta empresa a querer comprar 30 por cento da Media Capital, por "uma questão de transparência".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG