Obercom prevê encerramento de jornais este ano

Um estudo do Observatório da Comunicação defende que o número de jornais à venda em Portugal deverá diminuir este ano com o encerramento de títulos, não devendo surgir mais nenhum projeto editorial até ao próximo ano.

Esta análise é feita com base num inquérito realizado a gestores, administradores e directores de media para um estudo anual do Obercom, que avalia o ano que terminou e avança previsões para o ano que se inicia.

Este ano, o Obercom questionou 223 gestores de grupos como a Cofina, a Controlinveste, a Impresa, a Media Capital, a Renascença, a RTP ou a Zon Multimédia, tendo recebido resposta de 62.

Segundo o barómetro, os inquiridos consideram haver uma probabilidade fraca ou inexistente de emergência de novos projectos na área da imprensa gratuita e paga, bem como de novos projectos de rádio.

Os inquiridos consideram mesmo que há probabilidades de encerramento de títulos no campo da imprensa e menor possibilidade de extinção de canais na oferta actual de televisão paga.

Os inquiridos esperam ainda um aumento considerável do fenómeno "cidadão jornalista", considerando também que as pessoas estão hoje mais dispostas a pagar por entretenimento do que por informação.

A perspectiva maioritária no sector da comunicação é para considerar que, de todos os mecanismos de regulação disponíveis, a auto regulação é aquela que é vista como mais positiva.

A Entidade Reguladora da Comunicação Social é a entidade reguladora que menos consenso reúne entre os inquiridos, registando assim menor concordância quanto às áreas de actuação e também menor percepção quanto à adequabilidade das acções.

Exclusivos