Leitores online vindos do Facebook são menos interessados

Um estudo revela que os utilizadores que entram diretamente numa página de notícias passam três vezes mais tempo em cada artigo e leem cinco vezes mais páginas por mês do que os que chegam através do Facebook.

As conclusões foram divulgadas pelo Pew Research Center. Os visitantes diretos de um site de notícias, para além de passarem, em média, cinco minutos em cada página, mais três do que os leitores que vêm por intermédio da rede social, leem também cinco vezes mais notícias por mês.

"Até sites como o BuzzFeed ou o National Public Radio, que têm um nível raramente elevado de tráfego através do Facebook, registaram um maior envolvimento das pessoas que chegaram de forma direta", escreveram os autores do relatório, concluindo que "a ligação que uma organização noticiosa tem com qualquer indivíduo que chega à sua página através do Facebook é muito limitada".

A investigação, conduzida pelo Pew Research Center em parceria com a Fundação John S. e James L. Knight, analisou o tráfego online de 26 dos mais populares sites de notícias norte-americanos, como o Yahoo, o Huffington Post ou o The New York Times, entre abril e junho de 2013.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.