Uma viagem pela publicidade às armas nos EUA

Em Portugal é proibido fazer publicidade ao tabaco e fazê-la a bebidas alcoólicas está sob regras rígidas. Mas nos Estados Unidos, além de fáceis de adquirir, as armas são alvo de campanhas de propaganda.

O jornal brasileiro "O Globo" tem no seu site uma viagem por alguns anúncios publicitários a armas nos Estados Unidos. Desde 1903 até ao final da década de 1980, a publicação mostra que a publicidade às armas usou e abusou de crianças e do espírito de Natal.

Há vários anúncios que incentivam os norte-americanos a oferecer armas aos filhos ou mulheres e a ensiná-los a usá-las. E há outros que sugerem como prenda de natal um belo revólver... daqueles a sério e não dos de brincar.

Os Estados Unidos estão neste momento com o aceso debate acerca da legislação para controlar a venda e posse de armas. A 16 de janeiro o presidente Barack Obama apresentou um conjunto de medidas que visam apertar controlo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".