"Sem RTP ficaríamos com a televisão mais reles do mundo"

Cineasta de profissão e benfiquista de coração, António-Pedro Vasconcelos explica a saída do programa 'Trio de Ataque' e a tensa relação com os ex-colegas de painel. Crítico antigo e acérrimo da privatização da RTP, não poupa Miguel Relvas e Pedro Passos Coelho.

"Em primeiro lugar, não há espaço para mais um canal comercial. Um dos que existem iria à falência. Depois, a qualidade da programação baixaria a níveis inimagináveis. Os reality shows passariam a ser programas de luxo. Ficaríamos com a TV mais reles, mais ordinária e mais pobre do mundo. Veja-se o que aconteceu em Itália com a tomada do poder por Berlusconi, ou com o Bouygues, em França, ou o Murdock, em Inglaterra, que ajudaram a destruir a vida democrática", diz António pedro Vasconcelos em entrevista ao DN, em resposta a uma pergunta sobre se para defender o serviço público seria necessário estar contra a privatização de um canal público.

Leia mais no e-paper do DN.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.