'Garganta funda' do TMZ foi despedido

Porta-voz do tribunal é acusado de passar informações a 'site' de celebridades

Nos últimos oito anos, quando alguma celebridade norte-americana teve algum problema com a justiça, as explicações dos processos eram dadas à comunicação social por um homem alto, de cabelo grisalho e olhos verdes: Allan Parachini, porta-voz do tribunal superior de Los Angeles.

Esta semana Parachini foi despedido da sua função por suspeita de fornecer informações privilegiadas ao site de notícias de celebridades TMZ.com, que ficou mundialmente conhecido após ter dado, em primeira mão, a notícia da morte de Michael Jackson.

No seu único comentário público sobre o despedimento, Parachini nega as acusações que lhe são atribuídas e garante estar a ser vítima de perseguição por parte dos "velhos media", leia-se jornais e revistas impressos, que perdem leitores para o site dada a quantidade de matérias exclusivas que publica, especialmente as que se prendem com questões judiciais.

O antigo porta-voz vinca, ainda, que a sua demissão também se justifica pelo facto de o tribunal querer retardar a divulgação de informações sobre salários de funcionários e outros gastos judiciários que considera serem de interesse público. "Quando pedi para me apresentarem provas sobre esses supostos privilégios, ninguém me deu um único exemplo", adiantou.

A suspeita da existência de ligações perigosas entre Parachini e o site TMZ não é de agora. Logo desde o início das suas funções de porta-voz que elas começaram a surgir, tendo sido adensadas, em 2008, aquando da contratação de Vania Stuelp, jornalista do TMZ, como sua assistente.

Allan Parachini trabalhou como jornalista no The Times e na organização American Civil Liberties Union.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG