Fotojornalista João Silva sai dos cuidados intensivos

O fotojornalista luso-sul-africano João Silva deixou os cuidados intensivos do hospital militar Walter Reed em Washington DC, para onde foi levado depois de ter pisado em Outubro uma mina no Afeganistão, onde estava ao serviço do New York Times.

Greg Marinovich, amigo de João Silva que lançou uma campanha online para recolha de donativos, adiantou à Lusa que a condição do fotojornalista natural de Lisboa já lhe permite receber visitas, e que os pais se encontram em Washington para acompanhar a evolução do seu estado clínico.

"O hospital também lhe encontrou uma enfermeira lusófona, porque os pais só falam português", disse à Lusa Marinovich. De acordo com o amigo de João Silva, também fotojornalista, ainda se aguarda resposta da empresa responsável pelo seguro de saúde acerca da cobertura das despesas médicas.

Até lá, adiantou, estas estão a ser suportadas pelo "New York Times", que também assumiu os encargos das viagens dos pais de João Silva e de Marinovich até Washington. Também já foram arrecadados perto de 70 mil dólares para cobrir as despesas médicas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG