Conselho deontológico diz que Sábado cumpriu preceitos

O jornalista da revista Sábado acusado de ter obtido testemunhos a troco de dinheiro para uma reportagem sobre compra de votos no PSD cumpriu os preceitos, considerou hoje o conselho deontológico do Sindicato dos Jornalistas.

"A conclusão que se retira da análise dos dados fornecidos pelas várias partes é a de que o jornalista não infringiu qualquer preceito do código deontológico dos jornalistas", refere o órgão em comunicado hoje divulgado.

A conclusão resulta de uma queixa do militante do PSD Ismael Ferreira que, em Setembro passado, acusou a Sábado e o autor do artigo, Vítor Matos, de terem aliciado vários militantes e ex-militantes do PSD para confirmarem, a troco de dinheiro, informações para sustentar uma notícia.

Segundo o artigo intitulado "PSD: Um voto numa eleição interna pode valer 25 euros - o homem que abre portas", publicado na edição de 17 a 23 de Setembro, vários dirigentes daquele partido, incluindo o líder da secção oriental do PSD, Ismael Ferreira, "angariavam filiados [no partido] a troco de benefícios pessoais, desde promessas de emprego a quantitativos monetários".

A reportagem motivou queixas à Entidade Reguladora para a Comunicação Social - que considerou que o caso não era da sua competência - e ao Sindicato dos Jornalistas.

    Na altura, a direcção da Sábado rejeitou de imediato a ideia e ameaçou processar quem dissesse que a revista compra informações.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG