Prisa admite cortar empregos em Portugal

O grupo espanhol Prisa vai cortar 18 por cento dos seus postos de trabalho em todo o mundo, o que representa menos 2.500 empregos dos quais 500 fora de Espanha, incluindo Portugal, confirmou uma fonte do grupo.

A mesma fonte explicou que ainda não está decidido quantos dos 500 cortes previstos estão em Portugal, referindo que a negociação com os sindicatos "acaba de começar" e que só deverá estar concluída até finais de fevereiro ou início de março. Em Portugal, a Prisa está presente através do grupo Media Capital, que controla a TVI.

Segundo a fonte a Prisa procurará que os cortes se realizem através de acordos de reformas antecipadas ou "baixas voluntárias" ou através da fusão e externalização de serviços.

Como exemplo, refere o caso de um recente acordo com a Indra que vai fornecer serviços à Prisa, recontratanto empregados do grupo de media que antes faziam esses serviços. "Procuraremos esse tipo de soluções", sublinhou. Em comunicado, o grupo espanhol explica que o plano de redução de 18 por cento no número de quadros afectará "todos os países e todas as áreas" da Prisa, "não se descartando uma segunda fase" de cortes de empregos fora de Espanha.

Ler mais

Exclusivos