VAR

Opinião

O VAR rouba protagonismo a Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo foi o melhor jogador na primeira semana do Mundial, o único cujo o impacto esteve à altura da sua fama, mas a estrela é o videoárbitro (VAR), um novo sinal da desnaturalização do futebol. É um tempo temível em que tudo se justifica em nome do dinheiro e do seu ambiente produtivo. Atrás, muito atrás, começa a ficar o adepto, sujeito central do futebol até há pouco tempo, convertido agora num consumidor alienado, sem outro papel que não o de engraxar um dos grandes negócios do século XXI. Nesta festa mercantil não podia faltar a tecnologia, outro impressionante negócio em constante movimento. Com o álibi da justiça e da suposta modernidade que representa o modelo americano (NFL, NBA, MLB, NHL), o futebol começa a abandonar as regras simples que o ajudaram a estabelecer-se como desporto universal por antonomásia.