UNESCO

Do primata guloso por fermentações ao torpor dos vinhos do Neolítico, viagem ao berço dos néctares de
Premium

1864

Como o homem descobriu o vinho: a gula por fermentações e a teoria do macaco bêbedo

A bebida a que chamamos vinho não a inventámos, descobrimo-la nos processos fermentativos naturais e demos-lhe cultura e civilização. Antes, porém, trabalhámos a uva por milénios, aprimorando a sua cultura ainda no Neolítico. No território da atual Geórgia, cerâmicas milenares contam-nos com eloquência os primórdios da vinha e do vinho. Um afã na produção da bebida mágica que turvava o espírito e que se tornou sinónimo de lubrificante social.

diplomacia

Sampaio da Nóvoa: "Área da Educação é absolutamente essencial para África"

Na linha de figuras de reconhecido valor académico e prestígio político que já foram embaixadores de Portugal junto da UNESCO, o Governo convidou o professor António Sampaio da Nóvoa para o cargo que estava sem titular desde o tempo da troika. Antigo reitor da Universidade de Lisboa, candidato derrotado a Presidente da República em 2016 e ex-assessor do presidente Jorge Sampaio, o futuro embaixador vai ser um dos vice-presidentes da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.