Sérgio Figueiredo

Bonsai

O capitalismo zombie

1. Há um vídeo a circular nas redes sociais, que não sendo novo eu próprio partilhei nesta semana porque Nilton, meu amigo de verdade, o republicou na sua página. Um jovem altamente qualificado começa a descrever todas as suas habilitações, a experiência laboral acumulada, o domínio de línguas estrangeiras. E, quanto mais desfia o investimento feito na sua formação, maior é o tédio, para não dizer a reprovação cínica, que provoca naqueles que ali estão supostamente para o contratar.

Bonsai

Esvaziaram o porquinho

1-Poupança negativa. A Joana Mateus publicou no último Expresso um artigo histórico. A poupança das famílias portuguesas é negativa! Nunca tinha acontecido, pelo menos desde que existem estatísticas do INE, numa série com mais de 40 anos. Há uma leitura imediata deste fenómeno: os portugueses depois de receberem salários, pensões, rendas, juros ou outros rendimentos, depois de pagarem impostos e contribuições sociais, ficam com um orçamento disponível que não cobre as suas despesas de consumo.

Estado da Nação

O pior que já lá vem

O Estado da Nação não é o estado da governação. A não ser quando a conversa chega ao Parlamento, onde o país passa a preto e branco, só há bons e maus, na história que apenas pertence a bandidos e heróis. Se a nação está como está, para o bem ou para o mal, não é a política nem os políticos que determinam o essencial do seu curso. O contexto internacional é decisivo. A economia. As bolhas que rebentam. As pulsões dos mercados. As decisões alheias também.

Bonsai

Seis meses soletrados

Nasceu fraco, com prognóstico reservado, elevada probabilidade de morte prematura. Foi súbita, mas a morte da oposição: Portas irrevogou-se e Passos perdidos. O governo de esquerda surpreendeu muito mais por aquilo que aguentou do que pelo que governou. Na sopa de letras de Costa, salta o G de geringonça. É a palavra do ano. Num ano em que, na primeira metade, foi bom para eles. Mas será na segunda que veremos o que os seis meses já passados significarão para todos nós.

Bonsai

Alerta geral, o diálogo voltou

1 Talvez por estar a escrever este texto à meia-noite de um domingo, não apetece trazer para aqui negócios e ideologias, provar opiniões com contas, sustentar com números ou evocar a globalização para confirmar, com o melhor de "lá de fora", o que está certo ou errado naquilo que vai acontecendo cá dentro. Não há uma posição política, apenas o sentimento do cidadão. E é estranha a sensação, para não dizer mesmo de irritação.

Bonsai

Cheira a Trump

1 O homem é feio, o homem é bronco, o homem não é inspirador, o homem nem sequer é homem porque faz questão de ser besta. Besta, bestial, the best - pensam os americanos, os mesmos que elegeram e reelegeram um presidente negro e agora são bem capazes de o substituir por um racista. Não inspira multidões, arrasta-as. Da frustração coletiva para o desastre anunciado. Não podem ser todos idiotas, não podem ser cegos, surdos e mudos, não podem negar o que todos veem. Mas o facto é que só a América, para trocar Obama por Trump.