Polónia

75 anos da Insurreição de Varsóvia

"Em 1944 a Polónia foi traída pela segunda vez pelos aliados"

Entrevista com o jornalista polaco Marcin Zatyka, correspondente da agência noticiosa PAP em Lisboa, também investigador, que tem estudado a história da forma como em Portugal foi noticiada a revolta em Varsóvia a 1 de agosto de 1944, que durou 63 dias até ser esmagada pelos nazis. Morreram mais de 15 mil membros do Exército Clandestino Polaco e cerca de 150 mil civis.

Polónia

Milhares dizem "não à violência" após morte de autarca esfaqueado em concerto

Presidente da câmara de Gdansk, Paweł Adamowicz, não resistiu aos ferimentos que sofreu num ataque com faca quando estava em palco num concerto de solidariedade. O autor do esfaqueamento é um homem que a imprensa polaca identifica como Stefan W., de 27 anos e com um historial de crimes violentos, que deixou a prisão há um mês. Em Gdansk, na capital, Varsóvia, e em Poznan, as ruas encheram-se esta segunda-feira à noite numa manifestação de "não à violência".

ministro dos Negócios Estrangeiros

"A Polónia é a Polónia. Não vamos parar esta reforma"

Foi diante de uma chávena de chá que Jacek Czaputowicz recebeu o DN no Ministério dos Negócios Estrangeiros em Varsóvia. O ministro, no cargo desde janeiro, explicou que a Polónia está habituada a ser criticada, uma vez que isso é "política", mas admitiu que o país se sente muitas vezes injustiçado. Garantiu que as reformas, como a polémica do sistema judicial, são mesmo para avançar, até porque a União Europeia não tem a maioria necessária para aplicar o artigo 7. Antigo opositor que chegou a estar preso, Czaputowicz admitiu que a Rússia é "uma ameaça à segurança" e defendeu a presença de mais tropas americanas na Polónia.