Pedro Tadeu

Pedro Tadeu

António Costa passou a ser um tipo banal?

Quando o primeiro-ministro António Costa decide ir cortar uma fita, para publicitar o início das obras de melhoria do IP3, não está a fazer nada de original na história da governação deste país: afinal não há fontanário, estatueta ou passeio público, construídos dentro destes 92.212 quilómetros quadrados de terreno a que chamamos Portugal, que não tenham merecido cerimoniais inaugurativos com a presença das mais altas e prestigiadas individualidades. É uma tradição.

Opinião

Seria capaz de matar a Ana Catarina?

No dia em que a Ana Catarina me apresentou o formulário do testamento vital para assinar caí das nuvens. O cancro incurável, diagnosticado dias antes à mulher que eu amava e com quem vivia há trinta anos, deixara-me atordoado. A leitura do documento, que faria de mim o responsável pela execução da sua vontade médica quando chegasse a fase terminal da doença, arrancou-me do torpor narcótico onde me refugiara, em negação, e despertou-me, violenta, para a crua, sibilina e mesquinha realidade... Fez-me bem.

Pedro Tadeu

Tenho de cortar as minhas árvores?

Pois a Autoridade Tributária, o Ministério da Administração Interna e o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (uf!) resolveram incomodar os cidadãos com um PDF a decretar que é obrigatório "limpar o mato e cortar árvores: 50 metros à volta das casas", bem como "cortar todas as árvores e arbustos a menos de cinco metros das casas". Quem não o fizer até 15 de março poderá pagar coimas de 140 a cinco mil euros. "E este ano as coimas são a dobrar", avisa o folheto da campanha Portugal sem Fogos Depende de Todos.