Pedro Filipe Soares

Opinião

O PS tem um problema com os professores

O ministro da Educação confirmou à comunicação social o apagão total na carreira dos professores. No dia seguinte, António Costa desmentiu o ministro e explicou que se tratava de uma tática negocial, que o governo mantinha abertura para a negociação desde que os sindicatos aceitassem as condições impostas. Quais são? Manter um apagão parcial sobre larga maioria do tempo em que as carreiras estiveram descongeladas. Inaceitável, claro.

Pedro Filipe Soares

A tempestade perfeita em Itália

A República italiana está transformada numa caixinha de surpresas ou casa de horrores, conforme a benevolência da análise. Depois do suspense sobre se o presidente italiano, Sergio Mattarella, daria ao Movimento 5 Estrelas (M5S) e à Liga a hipótese de formar governo, eis que a volte-face apanhou todos de surpresa: o presidente vetou a indicação de Paolo Savona para ministro da Economia. Com esse veto presidencial, o país precipitou-se em nova crise política, tendo o M5S e a Liga apelado à realização de novas eleições. Por tudo isto, o texto que escrevi na semana passada merece uma atualização.

Opinião

Luta com classe

A luta entre contrários marca o legado de Marx. A inteligência desse processo é terrífica para os seus inimigos: mesmo ao propagandearem o fracasso do seu (suposto) determinismo, não conseguem fugir ao brilhantismo da sua capacidade analítica. A luta de contrários em Marx carrega o sentido da emancipação dos trabalhadores e a sua relação com o desenvolvimento histórico da sociedade. Emancipação de uma exploração concreta, construída com amarras sociais tentaculares.

Opinião

A transparência não pode ser adiada

A Operação Mãos Limpas foi uma megainvestigação judicial realizada em Itália na década de 1990. Nessa investigação, Milão ganhou a alcunha de "cidade de suborno", tal era a dimensão do problema. Os números da investigação são dignos de uma megaprodução cinematográfica: mais de 6000 pessoas foram investigadas. Na sequência da investigação, 12 dos maiores empresários italianos se suicidaram e vários políticos fugiram do país. E, para evitar mais delações, a máfia siciliana cometeu dezenas de assassínios, incluindo de dois juízes. Choque e pavor, assim era o estado de Itália enquanto os resultados da investigação iam sendo conhecidos.

Opinião

Reconstruir

O fogo é o ladrão que nos arrombou o coração e deixou uma ferida ainda aberta. Diz o povo que a ocasião faz o ladrão. Se é assim, esta apresenta-se cada vez mais frequentemente, escorada pelas alterações climáticas e os profundos desafios que nos são colocados: temporadas de calor elevado, períodos prolongados de seca, ocorrência de fenómenos meteorológicos extremos. Vive, ainda, de um ordenamento florestal que coloca os interesses económicos à frente da proteção das populações e da biodiversidade. E o eucalipto, que cria um autêntico pasto para as chamas, dos fogos renasce para infestar ainda mais a floresta.

Opinião

As manhas da EDP

Imagino que poucos tenham percebido a totalidade do significado de uma frase enigmática de António Costa. Foi em junho passado que ele afirmou ter “conhecimento de como certos operadores, designadamente a EDP, têm várias manhas para conseguir contornar muitas vezes, com a indevida cobertura das entidades reguladoras, aquilo que é garantido”. Quais as manhas? Não o disse na altura, mas agora já está mais claro.