Paulo Tavares

Opinião

Um congresso e uma não questão

Sabemos como é difícil a um partido no poder conseguir animar um congresso não eletivo. O problema agrava-se se, como é o caso, a economia e as finanças públicas não estiverem a dar más notícias e, sobretudo, quando há uns quantos escândalos que não podem ocupar demasiado palco - Sócrates, Pinho ou Pedro Siza Vieira. Como resolver o problema? Encontra-se uma causa fraturante? Estão quase esgotadas. Avança-se para um debate ideológico sobre o posicionamento do partido? Parece que o PS achou alguma piada a esta última solução.

Opinião da direção

Impostos temos, e redistribuição?

O debate da semana, à volta da carga fiscal, merece meia dúzia de linhas, mas ligeiramente ao lado do que foi sendo dito. Sobre esse tema, que provocou mais um debate entre as habituais trincheiras de maniqueístas, apenas uma nota. Tem razão quem defende que o aumento da receita do Estado com impostos se deve, sobretudo, ao bom comportamento da economia e tem também alguma razão quem anota os aumentos de impostos indiretos e o seu contributo para o esforço de consolidação orçamental.

Opinião da direção

Marcelo 2021

Era um dos segredos mais mal guardados da política portuguesa e a coisa, a notícia, é mesmo muito pouco surpreendente. Há ainda assim uma justificação para o espaço que o DN dedica hoje às declarações de Marques Mendes ontem à noite na SIC, garantindo que Marcelo Rebelo de Sousa vai mesmo recandidatar-se a um segundo mandato. O comentador é conselheiro de Estado - onde entrou por escolha do Presidente - e o que diz sobre a Presidência ou sobre as posições do Presidente é sempre a segunda melhor opção, logo a seguir a um comunicado oficial.