Paulo Pisco

Paulo Pisco

Contestar a invasão russa da Ucrânia como ato de liberdade

É muito difícil nos dias de hoje, mais de cinco meses depois dos exércitos da Federação Russa terem invadido a Ucrânia, haver quem não esteja sumamente furioso, indignado e revoltado com Vladimir Putin, o principal responsável pela guerra insana e sem qualquer justificação que já fez milhares de vítimas, causou uma imensa destruição, milhões de refugiados e mudou a geopolítica. Esta é, como muitos observadores dizem, a guerra de Putin.