Paulo Pedroso

Paulo Pedroso

O mundo tem uma questão com o Irão, mas Trump agrava-a todos os dias

O mundo tem uma questão muito importante para gerir com o Irão - evitar que este consiga produzir armas nucleares. Com essa capacidade militar, o regime iraniano seria uma terrível ameaça numa região ainda estratégica por causa do petróleo e desde sempre muito instável. Não apenas por pôr Israel em perigo, mas também porque Israel e seguramente a Turquia, a Arábia Saudita e o Egito tudo fariam, nesse caso, para ter a mesma capacidade militar, numa escalada que seria tudo o que o Médio Oriente não necessita. Mais, se os arsenais nucleares foram até hoje instrumentos de dissuasão e não de produção de guerra, numa região tão volátil e com lideranças tão imprevisíveis ninguém poderia apostar em que não fossem uma porta aberta para transformar as tragédias regionais de hoje em catástrofes mundiais de amanhã.

Opinião

O espetáculo não pode parar

A Sophia voltou à Web Summit para se confessar mais humana do que dizia. E o jornalista do Público, decidiu atribuir à desconstrução do mito da sua inteligência artificial, um atributo humano. Escreveu que teve uma presença humilde, por contraste com as suas aparições anteriores, afinal golpes publicitários de arrogância, não do robot, mas dos que andaram a promover este chatbot como algo bastante mais avançado e independente do que aquilo que realmente é.