Opus dei

Grande Investigação

'Index' proíbe 79 livros de autores portugueses

Autores e especialistas portugueses mostram-se indignados por o Opus Dei ter uma lista de livros que proíbe os seus membros de ler. José Saramago é um dos escritores mais castigados ao nível mundial, sendo um dos recordistas no número de livros proibidos. Também 'censurada', Lídia Jorge diz que o Opus Dei deveria ter "vergonha" de ter este tipo de listagem, igualmente arrasada pela Sociedade Portuguesa de Autores. A lista é, porém, 'legal'.

Grande Investigação

Freud e Marx, os mais censurados na não ficção

Tudo o que são clássicos e grandes obras da literatura mundial passaram pelo crivo dos delegados de estudos do Opus Dei. Por isso é difícil encontrar um grande escritor que não tenha sido 'censurado' pela obra. Dos últimos 15 prémios Nobel da Literatura só um não tem livros proibidos. Os restantes 14 têm 72 obras 'proibidas'. Na não ficção, que inclui obras de grande importância científica, Marx, Freud ou Nietzsche estão entre os que não escaparam ao 'lápis azul' da organização.

Grande Investigação

O 'padrinho' Queiroz, os negócios com Roma e um juiz contra a IVG

Existe uma multiplicidade de profissões entre os membros e cooperadores que integram as fileiras do Opus Dei. Desde a seleção nacional até ao Tribunal Constitucional, passando por professores universitários e empresários de sucesso, são vários os sectores que contam (ou contaram) com membros da organização. Todos rejeitam a ideia de uma entidade elitista, defendendo que há na prelatura gente de todas as classes sociais.