oncologia

oncologia

A importância do rastreio de base populacional no cancro do intestino

Quando falamos do cancro do intestino em Portugal, falamos de uma doença que apresenta uma mortalidade de 11 pessoas por dia e surgem anualmente 7 mil novos casos. São, sem dúvida, números assustadores, para esta que é uma patologia perfeitamente rastreável e que, quando detetada atempadamente, tem uma elevada taxa de cura, cerca de 90%. A Europacolon Portugal, Associação de Apoio ao Doente com Cancro Digestivo tem lutado nestes últimos 11 anos pela implementação do rastreio que apresenta, desde logo, benefícios diretos, salvando inúmeras vidas, e também benefícios a longo prazo, evitando os custosos tratamentos deste cancro.