Oceanos

Fabien às cavalitas do. avô, Jacques-Yves Cousteau

Fabien Cousteau

"O meu avô dizia: para filmar um peixe, temos de nos tornar um peixe"

Neto mais velho de Jacques-Yves Cousteau, Fabien ainda tentou carreira no marketing, mas a força do apelido foi mais forte e tornou-se um aquanauta. Depois de uma participação na Glex Summit 2021, organizada pelo Clube de Exploradores de Nova Iorque e pela Expanding World, de Manuel Vaz, falou ao DN por zoom sobre passar 31 dias debaixo de água, a necessidade de investir tanto em explorar os oceanos como o espaço e sobre o seu laboratório submarino Proteus.

Exclusivo

Alan Friedlander

“Açores estão a fazer um grande progresso na proteção dos mares”

Com mais de 10 mil horas debaixo de água, nos Polos ou no Equador, o mergulhador americano Alan Friedlander, professor da Universidade do Havai, é membro do comité científico do Programa Blue Azores, uma parceria do Governo Regional dos Açores com a Fundação Oceano Azul e o Waitt Institutte para uma economia sustentável no arquipélago .

estilo

Marcas de luxo lançam palhinhas feitas de prata e ouro

Multiplicam-se as iniciativas para acabar com as palhinhas de plástico. Nos Estados Unidos da América, usam-se 500 milhões de palhinhas por dia, por exemplo. E cada uma leva mais de 200 anos até serem degradadas. Há cada vez mais restaurantes estão a eliminar estes objetos. E há quem opte pelas de papel, mas há ainda quem encontre outras soluções mais caras. «Monkey Straw» - 365 euros Os detalhes importam. Em prata de lei, esta palhinha da Tiffany & Co. tem como enfeite um macaco que parece estar a subir o galho de uma árvore. [...]