Narendra Modi

Opinião da direção

Garantir saúde a 500 milhões

Narendra Modi costuma ter má imprensa, pelo menos fora da Índia. Durante mais de uma década, qualquer artigo que elogiasse o seu desempenho económico como ministro-chefe do Gujarate não deixava de falar dos confrontos entre hindus e muçulmanos em 2002 em que morreram mil pessoas. Mesmo hoje, a etiqueta de nacionalista hindu do partido do primeiro-ministro tem leituras diversas, a mais benigna a ser a defesa da grandeza da Índia e o espírito tolerante da religião maioritária, que permitiu que ao longo dos séculos prosperassem também muçulmanos, cristãos, sikhs, budistas, parsis e outros; a menos benigna é a que fala de intolerância com as minorias, sobretudo a islâmica, e a alimentá-la estão declarações e ações de figuras menores do partido, como o tal deputado que se dedicou a denegrir o Taj Mahal.