Mirko Stefanovic

Mirko Stefanovic

A nova abordagem dos EUA para o Médio Oriente

A comunicação entre a Casa Branca em Washington e Jerusalém está num período de turbulência, obviamente repleta de hesitações, principalmente do lado norte-americano. A administração Trump ajudou muito a política do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu e este não tentou esconder o seu apoio ao ex-presidente americano nas eleições. Mas isso agora acabou, e os israelitas estão à procura de uma maneira de reatar as relações calorosas com o novo presidente em Washington, o que obviamente não será um trabalho fácil.

Opinião

Equilíbrio no Médio Oriente

Tudo o que é virado de pernas para o ar, dificilmente se manterá de pé. Pelo menos, a longo prazo. Esse o aspecto que o Médio Oriente hoje apresenta , tentando ajustar-se ao novo equilíbrio, criado pela administração norte-americana. Durante algum tempo o cenário pode parecer prometedor, porque qualquer tipo de cooperação entre Israel e os Estados árabes tem aspectos positivos importantes. Mas se tentarmos qualquer análise mais profunda, muitas perguntas ficarão sem resposta.

Opinião

Eleições americanas e política externa

A proximidade das eleições nos Estados Unidos está a tornar-se atualmente um elemento importante na formatação da política de Washington em todo o mundo. Os políticos norte-americanos procuram a negociação rápida de qualquer crise no mundo que possa ser terminada com o anúncio de algum tipo de acordo. O próprio anúncio, aliás, está a tornar-se mais importante do que o seu conteúdo. Isso pode ser compreensível se tivermos em mente a sua potencial influência na classificação de um dos candidatos nas próximas eleições presidenciais em novembro.

Mirko Stefanovic

Os Balcãs Ocidentais e a Adesão à UE

A região dos Balcãs Ocidentais é composta pela Albânia e mais quatro antigas repúblicas jugoslavas, Sérvia, Bósnia-Herzegovina, República da Macedónia do Norte e Montenegro. Nenhum destes países é membro da UE e todos estão em diferentes estágios do processo de adesão. Sérvia, República da Macedónia do Norte, Montenegro e Albânia são oficialmente candidatos à adesão, enquanto a Bósnia-Herzegovina ainda não atingiu esse estatuto.