Marchas de Santo António

MARCHA INFANTIL

Homenagear a água a torcer por vários bairros da cidade

"Santo António, Alfama é padroeiro." É com a traquinice própria da tenra idade que um dos marchantes do conjunto d"A Voz do Operário, no bairro de São Vicente, foge à norma imposta pela realidade e pelo ensaiador de que a intenção é relembrar o santo casamenteiro de que o padroeiro de Lisboa é São Vicente. A "rebeldia", mostrada durante um ensaio da marcha infantil, não tem o apoio de outras crianças, mas é sintomática da origem diversificada do grupo que, desde há 26 anos, atrai os lisboetas mais pequenos à típica tradição alfacinha.

Marchas populares

O Norte do País domina na marcha do Beato

"Malta, malta, concentração, por favor! Vamos recomeçar!", é a voz de comando de Bruno Lucas que ecoa no campo de futebol exterior da Escola Luís António Verney, o local eleito para os ensaios da Marcha do Beato. As palavras de ordem são expressas pelo coreógrafo da marcha. Um nortenho, da terra dos ovos moles (Aveiro), que aos sete anos veio viver para Lisboa e desde cedo se apaixonou pelas festas . "Os arcos enfeitados, os figurinos cheios de cor, as coreografias... Tudo é fascinante! Tenho um gosto enorme pelas Festas de Lisboa" afirma o jovem de 27 anos que, agora, se estrea como coreógrafo, mas que desde pequeno começou a marchar e não mais parou nestas andanças.