lusofonia

Opinião

Do Mar de Abidjan também se vê a língua portuguesa

Em abril de 1993, a capital económica e administrativa da Costa do Marfim foi palco de uma interminável ronda de conversações para a paz em Angola, que levou a Abidjan delegações do Governo e da UNITA, da troika de observadores, Portugal, Rússia e Estados Unidos, e de dezenas de jornalistas de Portugal e de Angola, para além da estrutura de mediação das Nações Unidas. Durante quase dois meses, a grande metrópole africana de língua oficial francesa foi palco de intensa atividade diplomática em que a língua de Camões, Pepetela ou Mia Couto se sobrepôs ao idioma de Victor Hugo, não tendo faltado até a presença da seleção moçambicana de futebol que, por essa altura, defrontou a congénere marfinense, num jogo de apuramento para o campeonato africano. A festa em bom português contrastou com a copiosa derrota da equipa vinda de Maputo.

Exclusivo

Ruy Castro

A falta que ele nos faz

Quem conheceu a casa de Tom Jobim no Jardim Botânico, no Rio, nos anos 1980 e 90, não conseguia deixar de se surpreender. Na estante da sua sala, poucos livros sobre música. Mas, ocupando as prateleiras, tomando a tampa do piano e empilhando-se sobre poltronas, alguns livros de poesia - e muitos dicionários. Dezenas de dicionários, em várias línguas e de todos os géneros: analógico, etimológico, de sinónimos, folclore, pássaros, tupi-guarani, gíria brasileira, gíria americana.

Ruy Castro

E se Trump tiver de mostrar?

Stormy Daniels, uma atriz porno americana com quem o presidente Donald Trump teria tido um caso em 2006 e a quem, dez anos depois, ele mandou pagar 130 mil dólares para que ela não atrapalhasse sua corrida para a Casa Branca, acaba de publicar um livro de memórias. Este é o problema. As namoradas dos políticos americanos costumam ter tudo, menos amnésia. O livro se intitula Full Disclosure (Revelação Total) e ainda não foi lançado entre nós. Nele, Stormy recorda o que aconteceu entre ela e Trump e ainda descreve em minúcias a anatomia do homem. Segundo ela, Trump tem um pénis de tamanho abaixo da média, exceto pela cabeça - "enorme, como a de um cogumelo".